terça-feira, 19 de abril de 2011

PORQUE O JUIZ TEM QUE OUVIR AS DUAS PARTES






Seu Zé, mineirinho, pensou bem e decidiu que os ferimentos que sofreu num acidente de trânsito eram sérios o suficiente para levar o dono do outro carro ao tribunal.

No tribunal, o advogado do réu começou a inquirir seu Zé:



- O Senhor não disse na hora do acidente 'Estou ótimo'?



E seu Zé responde:



- Bão, vô ti contá o que aconteceu. Eu tinha acabado di colocá minha mula favorita na caminhonete...



- Eu não pedi detalhes! - interrompeu o advogado.

- Só responda à pergunta: O Senhor não disse na cena do acidente: 'Estou ótimo'?



- Bão, eu coloquei a mula na caminhonete e tava descendo a rodovia...



O advogado interrompe novamente e diz:



- Meritíssimo, estou tentando estabelecer os fatos aqui. Na cena do acidente este homem disse ao patrulheiro rodoviário que estava bem. Agora, várias semanas após o acidente ele está tentando processar meu cliente, e isso é uma fraude. Por favor, poderia dizer a ele que simplesmente responda à pergunta.



Mas, a essa altura, o Juiz estava muito interessado na resposta de seu Zé e disse ao advogado:



- Eu gostaria de ouvir o que ele tem a dizer.



Seu Zé agradeceu ao Juiz e prosseguiu:



- Como eu tava dizendo, coloquei a mula na caminhonete e tava descendo a Rodovia quando uma picape travessô o sinal vermeio e bateu na minha Caminhonete bem du lado. Eu fui lançado fora do carro prum lado da rodovia e a mula foi lançada pro outro lado. Eu tava muito ferido e não podia me movê. Mais eu podia ouvir a mula zurrano e grunhino e, pelo baruio, percebi que o estado dela era muito feio. Em seguida o patrulheiro rodoviário chegou. Ele ouviu a mula gritano e zurrano e foi até onde ela tava. Depois de dá uma oiada nela, ele pegou o revorve e atirou 3 vezes bem no meio dos ôio dela. Depois ele travessô a estrada com a arma na mão, oiô para mim e disse:



- Sua mula estava muito mal e eu tive que atirar nela. E, como o senhor está se sentindo?



- Aí eu pensei bem e falei: ... Tô ótimo!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Isso é bom ou ruim?



Uma delegacia dedicada exclusivamente a julgar disputas envolvendo tributos entre o Estado e o contribuinte entrou em funcionamento no Paraná, como parte do programa de modernização que está em implantação na Secretaria da Fazenda. Sem contratar funcionários, a delegacia vai concentrar o julgamento em primeira instância de todas as contestações feitas por empresas que discordam de autos de infração que receberam.




Até agora, o julgamento era feito nas 12 delegacias regionais espalhadas pelo Estado, o que ocasionava decisões diferentes, muitas vezes conflitantes, para casos semelhantes. A formação de um grupo especializado vai padronizar decisões, formar jurisprudência e garantir transparência e agilidade ao processo, avalia o secretário da Fazenda, Luiz Carlos Hauly.



Ao dar posse ao delegado Jair Ferreira, Hauly enfatizou a necessidade de atualização tecnológica para garantir melhor atuação ao setor de arrecadação, estratégico para permitir que o Estado obtenha os recursos que vão garantir seu desenvolvimento. "O empresário está sempre adiante do Fisco (em relação à tecnologia)", ponderou Hauly, reafirmando a disposição do governo de buscar a modernização e o reconhecimento de talentos. O secretário sugeriu a criação de um banco de talentos para "agilizar esta área extremamente sensível, que é a arrecadação justa de tributos".



Hauly reforçou um dado que o preocupa desde que assumiu a secretaria: o Paraná tem um déficit tributário estrutural de 0,6%, correspondente à diferença entre a participação do Estado no PIB nacional, de 6%, e a arrecadação, que chega apenas a 5,4%. Recuperar essa diferença é fundamental, na opinião do secretário, para recompor a capacidade de investimento do Estado.



A Delegacia de Julgamento, de acordo com Jair Ferreira, vai reduzir custos ao mesmo tempo em que agiliza os procedimentos. Segundo ele, será possível redirecionar processos e agrupá-los por jurisprudência. A delegacia já conta com 1,5 mil processos prontos para julgamento. Se o contribuinte ainda recorrer, o processo passa para o Conselho do Contribuinte.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Abestado!


O grande parlamentar br asileiro TIRIRICA foi diplomado em 17.12.2010..




Salário: R$ 26.700,00



Ajuda Custo: R$ 35.053,00



Auxilio Moradia: R$ 3.000,00



Auxilio Gabinete: R$ 60.000,00



Despesa Médica pessoal e familiar: ILIMITADA E



INTERNACIONAL (livre escolha de medicos e clinicas).



Telefone Celular: R$ ILIMITADO.



Ainda como bônus anual: R$ (+ 2 salários = 53.400,00)



Passagens e estadia: primeira classe ou executiva sempre



Reuniões no exterior: dois congressos ou equivalente todo ano.



Mensalão: A COMBINAR!!!



Custo médio mensal: R$ 250.000,00



Aposentadoria: total depois de 8 (oito) anos e com pagamento integral.

Fonte de custeio: NOSSO BOLSO!!!



Dá para chamar ele de palhaço?

Pense bem, quem é o palhaço!!



Nem é preciso dizer...







 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios