segunda-feira, 3 de outubro de 2011

NOVÍSSIMAS PÉROLAS DO ENEM



PÉROLAS DO ENEM


· "O Brasil não teve mulheres presidentes mas várias primeiras-damas foram do sexo feminino".
· (Ou seja: vários ex-presidentes casaram-se com travestis.)

· "Vasilhas de luz refratória podem ser levadas ao forno de microondas sem queimar".
· (Alguém poderia traduzir?!)

· "O bem star dos abtantes da nossa cidade muito endepende do governo federal capixaba".
· (Vende-se máquina de escrever faltando algumas letras.)

· "Animais vegetarianos comem animais não-vegetarianos".
· (Esse aí deve comer capim.)

· "Não cei se o presidente está melhorando as insdiferenças sociais ou promovendo o sarneamento dos pobres. Me pré-ocupa o avanço regresssivo da violência urbana".
· (“Sarneamento” deve ser o conjunto de medidas
· adotadas por Sarney no Maranhão. Quer dizer, eu “axo”, mas não me “pré-ocupo” muito.)

· "Fidel Castro liderou a revolução industrial de 1917, que criou o comunismo na Russia".
· (Não, besta, foi o avô dele.)

· "O Convento da Penha foi construído no céculo 16 mas só no céculo 17 foi levado definitivamente para o alto do morro".
· (Demorou o "céculo" inteiro pra fazer a mudança.)

· "A História se divide em 4: Antiga, Média, Momentânea e Futura, a mais estudada hoje".
· (Esqueceu a História em Quadrinhos.)

· "Os índios sacrificavam os filhos que nasciam mortos matando todos assim que nasciam".
.(Mas e se os índios não matassem os mortos????)

· "Bigamia era uma espécie de carroça dos gladiadores, puchada por dois cavalos".
· (Ou era uma "biga" macho que tinha duas "bigas" fêmeas, puxada por um burro?!)

· "No começo Vila Velha era muito atrazada mas com o tempo foi se sifilizando".
· (Deve ter sido no tempo em que lá chegaram as primeiras prostitutas.)

· "Os pagãos não gostavam quando Deus pregava suas dotrinas e tiveram a idéia de eliminá-lo da face do céu".
· (Como será que eles pretendiam fazer isso?!)

· "A capital da Argentina é Buenos Dias".
· (De dia. À noite chama-se Buenas Noches.)

· "A prinssipal função da raiz é se enterrar no chão".
· (E a "prinssipal" função do autor deveria ser a mesma. E ainda vivo...)

· "As aves tem na boca um dente chamado bico".
· (Cruz credo.)

· "A Previdência Social assegura o direito a enfermidade coletiva".
· (Hehe. Esse é espirituoso...)

· "Respiração anaeróbica é a respiração sem ar, que não deve passar de 3 minutos".
 (Senão a anta morre.)

· “Ateísmo é uma religião anônima praticada escondido. Na época de Nero, os romanos ateus reuniam-se para rezar nas catatumbas cristãs".
· (E alguns ainda vivem nas "catatumbas".)

· "Os egipícios dezenvolveram a arte das múmias para os mortos poderem viver mais".
· (Precisa "dezenvolver" o cérebro. Será que egipício é para rimar com estrupício?)

· "O nervo ótico transmite idéias luminosas para o cérebro".
· (Esse aí não deve ter o tal nervo, ou seu cérebro não seria tão obscuro.)

· "A Geografia Humana estuda o homem em que vivemos".
· (I will survive.)

· "O nordeste é pouco aguado pela chuva das inundações frequentes".
· (Verdade: de São Paulo até o Nordeste, falta construir aquadutos para levar as inundações.)

· "Os Estados Unidos tem mais de 100.000 Km de estradas de ferro asfaltadas".
· (Juro que eu não li isso.)

· "As estrelas servem para esclarecer a noite e não existem estrelas de dia porque o calor do sol queimaria elas".
· (Hum... Desconfio que vai ser poeta!)

· "Republica do Minicana e Aiti são países da ilha América Central".
· (Procura-se urgente um Atlas Geográfico que venha com um Aurélio junto.)

· As autoridades estão preocupadas com a ploleferação da pornofonografia na
· Internet".
· (Deve estar falando do CD dos Raimundos.)

· "A ciência progrediu tanto que inventou ciclones como a ovelha Dolly".
· (Teve a ovelha Katrina, também. Só que ela era meio violenta...)

· "O Papa veio instalar o Vaticano em Vitória mas a Marinha não deixou para construir a Capitania dos Portos no mesmo lugar".
· (Foi quando ele veio no papamóvel, lembra?)

· "Hormônios são células sexuais dos homens masculinos".
· (Isso. E nos homens femininos, essas células chamam-se frescurormônios.)

· "Os primeiros emegrantes no ES construiram suas casas de talba".
· (Enquanto praticavam “Tiro ao Álvaro”.)

· "Onde nasce o sol é o nacente, onde desce é o decente".
· (Indecente: o sol não nasceu pra todos.)

· "A terra é um dos planetas mais conhecidos e habitados no mundo. Os outros planetas menos demográficos são: Mercurio, Venus, Marte, Lua e outros 4 que eu sabia mas como esqueci agora e está na hora de entregar a prova, a senhora não vai esperar eu lembrar, vai? Mas tomara que não baixe minha nota por causa disso porque esquecer a memória em casa todo mundo esquece um dia, não esquece?".

· (Quase chorei. Mas todo mundo deveria esquecer a memória em casa, ao menos um dia: isso é lindo.)

Esse é o povo que elege Tiririca e a futura geração da nação !!!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

E agora? Quem poderá nos defender?


"Embora tenhamos feitos várias desonerações de tributos, mesmo assim, ainda temos estrutura pesada para as empresas. Temos um caminho pela frente para reduzir esse peso, simplificar os tributos e melhorar a vida das empresas brasileiras", afirmou o ministro da Fazenda Guido Mantega em um seminário semana passada.

Acho que o caminho não é pela frente, Ministro! Em plena discussão da criação de um novo tributo, o caminho só pode ser para o alto! Só a Providência Divina...






terça-feira, 13 de setembro de 2011

Este ano não! E o ano que vem?


Líder do governo na Câmara, o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) rejeitou ontem a recriação neste ano de um imposto para financiar a saúde, como era a CPMF. “Não terá nenhuma iniciativa de imposto do governo este ano”, disse.

Logo em seguida e sem mencionar prazos, o presidente da Câmara, o deputado federal Marco Maia (PT-RS), disse revelou que entre as soluções que estão sendo discutidas para aumentar a verba da saúde a que é mais bem aceita pelos deputados é a que destina recursos os royalties do petróleo da camada pré-sal para o setor. Para isso defendeu a distribuição dos royalties para todos os estados e a destinação voluntária dessa verba para a saúde.
 
Fonte: O Dia

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Muy amigo


Dois advogados estavam caçando quando já dentro da selva um leão os surpreende e, sem condições de reagir, um deles imediatamente começou a tirar os sapatos.




- Por que você está tirando os sapatos? - Pegunta um deles.



- Descalço eu posso correr mais rápido! - Responde o outro.



- Que bobagem! Não importa o quanto você pode correr, você nunca vai conseguir correr mais que o leão!



- Eu não preciso correr mais que o leão, só tenho que correr mais que você.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Redução de Tributos nas Comunicações - será?


O Ministério das Comunicações informou nesta segunda-feira (8) que deve divulgar nos próximos dias um plano que prevê redução de impostos para incentivar a ampliação e modernização da infraestrutura de comunicação no país.




O plano, que está sendo discutido com o Ministério da Fazenda, prevê a redução de PIS e Cofins para equipamentos utilizados no setor, com incentivos especiais para aqueles produzidos no Brasil. A expectativa do governo é elevar a oferta e qualidade e reduzir o preço de serviços, como acesso a internet.



O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, citou o potencial de vendas de tablets, notebooks e produtos ligados à rede de comunicações e informou que nos próximos dias o governo vai lançar o regime especial de tributação para a construção de redes de comunicação.



"Diferente do que acontece nas economias dos Estados Unidos e da Europa, o Brasil tem um mercado com potencial muito grande", disse o ministro, citado pela Agência Estado. "Aqui nós temos uma internet que ainda é efetivamente escassa e, na minha opinião, deixa a desejar em termos de qualidade", afirmou. Segundo ele, se o governo melhorar a oferta de serviço e o preço, isso vai ajudar alavancar a venda de smartphones e outros produtos.



* Com informações da Agência Estado

terça-feira, 19 de abril de 2011

PORQUE O JUIZ TEM QUE OUVIR AS DUAS PARTES






Seu Zé, mineirinho, pensou bem e decidiu que os ferimentos que sofreu num acidente de trânsito eram sérios o suficiente para levar o dono do outro carro ao tribunal.

No tribunal, o advogado do réu começou a inquirir seu Zé:



- O Senhor não disse na hora do acidente 'Estou ótimo'?



E seu Zé responde:



- Bão, vô ti contá o que aconteceu. Eu tinha acabado di colocá minha mula favorita na caminhonete...



- Eu não pedi detalhes! - interrompeu o advogado.

- Só responda à pergunta: O Senhor não disse na cena do acidente: 'Estou ótimo'?



- Bão, eu coloquei a mula na caminhonete e tava descendo a rodovia...



O advogado interrompe novamente e diz:



- Meritíssimo, estou tentando estabelecer os fatos aqui. Na cena do acidente este homem disse ao patrulheiro rodoviário que estava bem. Agora, várias semanas após o acidente ele está tentando processar meu cliente, e isso é uma fraude. Por favor, poderia dizer a ele que simplesmente responda à pergunta.



Mas, a essa altura, o Juiz estava muito interessado na resposta de seu Zé e disse ao advogado:



- Eu gostaria de ouvir o que ele tem a dizer.



Seu Zé agradeceu ao Juiz e prosseguiu:



- Como eu tava dizendo, coloquei a mula na caminhonete e tava descendo a Rodovia quando uma picape travessô o sinal vermeio e bateu na minha Caminhonete bem du lado. Eu fui lançado fora do carro prum lado da rodovia e a mula foi lançada pro outro lado. Eu tava muito ferido e não podia me movê. Mais eu podia ouvir a mula zurrano e grunhino e, pelo baruio, percebi que o estado dela era muito feio. Em seguida o patrulheiro rodoviário chegou. Ele ouviu a mula gritano e zurrano e foi até onde ela tava. Depois de dá uma oiada nela, ele pegou o revorve e atirou 3 vezes bem no meio dos ôio dela. Depois ele travessô a estrada com a arma na mão, oiô para mim e disse:



- Sua mula estava muito mal e eu tive que atirar nela. E, como o senhor está se sentindo?



- Aí eu pensei bem e falei: ... Tô ótimo!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Isso é bom ou ruim?



Uma delegacia dedicada exclusivamente a julgar disputas envolvendo tributos entre o Estado e o contribuinte entrou em funcionamento no Paraná, como parte do programa de modernização que está em implantação na Secretaria da Fazenda. Sem contratar funcionários, a delegacia vai concentrar o julgamento em primeira instância de todas as contestações feitas por empresas que discordam de autos de infração que receberam.




Até agora, o julgamento era feito nas 12 delegacias regionais espalhadas pelo Estado, o que ocasionava decisões diferentes, muitas vezes conflitantes, para casos semelhantes. A formação de um grupo especializado vai padronizar decisões, formar jurisprudência e garantir transparência e agilidade ao processo, avalia o secretário da Fazenda, Luiz Carlos Hauly.



Ao dar posse ao delegado Jair Ferreira, Hauly enfatizou a necessidade de atualização tecnológica para garantir melhor atuação ao setor de arrecadação, estratégico para permitir que o Estado obtenha os recursos que vão garantir seu desenvolvimento. "O empresário está sempre adiante do Fisco (em relação à tecnologia)", ponderou Hauly, reafirmando a disposição do governo de buscar a modernização e o reconhecimento de talentos. O secretário sugeriu a criação de um banco de talentos para "agilizar esta área extremamente sensível, que é a arrecadação justa de tributos".



Hauly reforçou um dado que o preocupa desde que assumiu a secretaria: o Paraná tem um déficit tributário estrutural de 0,6%, correspondente à diferença entre a participação do Estado no PIB nacional, de 6%, e a arrecadação, que chega apenas a 5,4%. Recuperar essa diferença é fundamental, na opinião do secretário, para recompor a capacidade de investimento do Estado.



A Delegacia de Julgamento, de acordo com Jair Ferreira, vai reduzir custos ao mesmo tempo em que agiliza os procedimentos. Segundo ele, será possível redirecionar processos e agrupá-los por jurisprudência. A delegacia já conta com 1,5 mil processos prontos para julgamento. Se o contribuinte ainda recorrer, o processo passa para o Conselho do Contribuinte.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Abestado!


O grande parlamentar br asileiro TIRIRICA foi diplomado em 17.12.2010..




Salário: R$ 26.700,00



Ajuda Custo: R$ 35.053,00



Auxilio Moradia: R$ 3.000,00



Auxilio Gabinete: R$ 60.000,00



Despesa Médica pessoal e familiar: ILIMITADA E



INTERNACIONAL (livre escolha de medicos e clinicas).



Telefone Celular: R$ ILIMITADO.



Ainda como bônus anual: R$ (+ 2 salários = 53.400,00)



Passagens e estadia: primeira classe ou executiva sempre



Reuniões no exterior: dois congressos ou equivalente todo ano.



Mensalão: A COMBINAR!!!



Custo médio mensal: R$ 250.000,00



Aposentadoria: total depois de 8 (oito) anos e com pagamento integral.

Fonte de custeio: NOSSO BOLSO!!!



Dá para chamar ele de palhaço?

Pense bem, quem é o palhaço!!



Nem é preciso dizer...







quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

DXLV



SENADVS BRASILEIRVS APROVACTIS MINIMVUM SALARIVS MIMIMORVM DE DXLV.
 POVCO NON EST?

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Os patos do Dr. Rui




Diz a lenda que Rui Barbosa, ao chegar em casa, ouviu um barulho estranho vindo do seu quintal.




Foi averiguar e constatou haver um ladrão tentando levar seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com seus patos, disse-lhe:



- Oh, bucéfalo anácrono!!!...Não o interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares da minha elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica, bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência que o vulgo denomina nada.



E o ladrão, confuso, diz:



- Dotô, rezumino...eu levo ou dêxo os pato???...


quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Insanidade Tributária




Fonte - O Estado de S.Paulo


Não é ao projeto do advogado mineiro Vinícios Leôncio, de reunir num único livro toda a legislação tributária em vigor no País, que se aplica a qualificação de "verdadeira insanidade" dada pelos amigos a sua empreitada. Ela se aplica, de fato, e com precisão, ao conteúdo da obra. Monstruosamente extensa, detalhista demais, exigente em excesso e em constante modificação e ampliação, a legislação tributária brasileira - formada por um cipoal que começa nas normas constitucionais e se estende por leis, decretos, portarias e instruções normativas, editados continuamente nos três níveis de governo - exaure o contribuinte, confunde-o, exigindo dele um ingente trabalho para entender e cumprir todas as regras e, mesmo assim, o deixa vulnerável à ação implacável dos fiscais dos órgãos arrecadadores. É uma verdadeira insanidade.

É assustador o resultado do material do trabalho de quase duas décadas do advogado mineiro, mostrado na reportagem de Eduardo Kattah publicada domingo pelo Estado. Sua intenção era apresentar, de maneira explícita, o tamanho e a complexidade da legislação tributária, com todas as normas federais, dos 26 Estados, do Distrito Federal e dos mais de 5 mil municípios. Quando pronto, o livro terá 43,2 mil páginas, cada uma com 2,2 m de largura e 1,4 m de altura, e pesará 6,2 toneladas - com registro assegurado no livro Guinness de recordes.

Todo mundo sabe que a legislação brasileira é muito extensa, mas ela nunca teve visibilidade concreta, justificou o advogado. E sua ideia foi "mostrar para a sociedade o tamanho da legislação de um país que edita (em média) 35 normas tributárias por dia útil".

Outros tributaristas vêm, há tempos, mostrando o caráter caótico das regras tributárias brasileiras, formadas por mais de 3 mil normas federais, além de milhares de normas estaduais e municipais.

A extrema complexidade do sistema tributário impõe aos contribuintes um enorme trabalho para cumprir integralmente as normas. O aumento da eficácia e da amplitude do trabalho dos agentes fiscais dos três níveis de governo, por sua vez, resulta em mais pressão sobre as empresas para o cumprimento estrito de todas as regras e das obrigações acessórias.

O resultado prático mais danoso dessas pressões e desse sistema caótico já é conhecido internacionalmente - o alto custo da burocracia tributária. Na mais recente pesquisa anual realizada pelo Banco Mundial sobre a facilidade de realização de negócios, a Doing Business, o Brasil ocupa a 129.ª posição entre 183 países. Na América Latina, está à frente apenas de Equador, Bolívia, Venezuela, Haiti, Suriname e Honduras.

O pior resultado do País está no item "procedimentos para o pagamento de impostos", em que ocupa a 150.ª posição. Segundo a pesquisa, os empresários brasileiros arcam com o custo de 2.600 horas anuais para cumprir as obrigações tributárias. Na América Latina e no Caribe, o gasto médio é de 385,2 horas por ano; nos países de renda alta que integram a OCDE, a média é de 194,1 horas anuais.

Em recente trabalho sobre os custos do sistema tributário, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) observou que, com a edição constante de novas normas, o governo se vê obrigado a abrir concursos para mais e mais fiscais e funcionários da Receita e as empresas, a inchar mais e mais seus departamentos contábeis e jurídicos.

O aumento dos custos, para atender a um número cada vez maior de exigências tributárias, acaba sendo transferido para os clientes, o que resulta em pressão sobre os preços. Nem assim os contribuintes se sentem seguros, pois, com as mudanças frequentes das normas e com o aumento do rigor do Fisco na interpretação delas, nunca se tem certeza de que todas as obrigações estão sendo cumpridas.

Além disso, o prazo para o recolhimento de tributos é, muitas vezes, menor do que o concedido pelas empresas para o pagamento do bem ou serviço vendido, o que as força a obter financiamento para pagar impostos.

E tudo isso sem falar no aumento ininterrupto da carga tributária nos últimos anos, que torna cada vez mais difícil a atividade econômica no País.





quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Presidente ou Presidenta?

Muito oportuna e muito bem comentada. Estou com bronca da Revista Época que, açodada e bajulatoriamente, já assumiu essa horrível forma de tratamento: PRESIDENTA! (ARGH!!!).


Muito legal! Uma verdadeira aula de português, muito didática, e com um final bem humorado.

AULA DE PORTUGUÊS : O CORRETO É PRESIDENTE OU "PRESIDENTA" ? ? ?

Tenho notado, assim como aqueles mais atentos também devem tê-lo feito, que a candidata eleita e empossada Dilma Roussef e seus apoiadores, pretendem que ela venha a ser a primeira presidenta do Brasil, tal como atesta toda a propaganda política veiculada pelo PT na mídia.

Presidenta?

Mas, afinal, que palavra é essa?

Bem, vejamos:

Em português existem os particípios ativos como derivativos verbais.

Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar é mendicante...

Qual é o particípio ativo do verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é ente.

Aquele que é: o ente.

Aquele que tem entidade.

Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte.

Portanto, a pessoa que preside é “PRESIDENTE", e não "Presidenta", independentemente do gênero, masculino ou feminino.

Se diz capela ardente, e não capela "ardenta"; se diz estudante, e não "estudanta"; se diz adolescente, e não "adolescenta"; se diz paciente, e não "pacienta".

Um exemplo (negativo) seria:

"A presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta, dentre tantas outras suas atitudes barbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta."

Absolutamente correto! Está mais que na hora de restabelecermos A LEITURA E A FALA CORRETAS DE NOSSO IDIOMA - o PORTUGUÊS (falado no Brasil) e não mais o cachacês, churrasquês, o futibolês e outros dialetos de triste e recente memória, infelizmente aplaudidíssimos pelos 80% dos patrícios que vibravam com as bobagens oficializadas e incensadas pela massa de áulicos (áulico: cortesão, palaciano) e puxa-sacos “dus cumpanhêru de ingual” nível moral e intelectual...
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios