segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Palavra do Lula: Cristina foi a primeira...





quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Tropa de Elite em Brasília daria muito IBOPE...



Andaram dizendo as más línguas que o Capitão Nascimento que existe em cada um de nós tem planos de fazer uma operação especial em Brasília.

Nada daria mais IBOPE do que uma batida às portas do Congresso Nacional e de determinados Palácios.

Traficantes de influência, mentirosos contumazes, criminosos de colarinhos multicolores haveriam de se pelar com a presença do mais novo super-herói nacional.

Dizem que a simples presença dele e de sua tropa às margens do Paranoá seria hábil para causar uma debandada geral pela revoada agitada de aves de rapina do Planalto Central rumo a outras paragens.



A indústria plástica se anima com a perspectiva dessa operação. Há receio de que a produção de sacos não venha atender a demanda.



Clique na caveira acima e descubra quem seria você nessa guerra...

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Terceiro Congresso ou Terceiro Mandato???



quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Alta Fidelidade





"Quem mais demora a prometer, é o mais fiel ao cumprir."

(Jean Jacques Rousseau) ensaísta, escritor, filósofo, pedagogo e sociólogo francês.


"Fidelidade comprada com dinheiro, o dinheiro pode destruir."

(Lucius Annaeus Seneca) escritor, estadista, filósofo estóico e político romano.


"Fidelidade: Virtude peculiar dos que estão por ser traídos."

(Ambrose Bierce) autor, editor, escritor e jornalista norte-americano.


"O preço da fidelidade é a eterna vigilância."

(Millôr Fernandes) escritor brasileiro.

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Momento Musical



Daqui Não Saio (marcha/carnaval) - 1950

(Paquito e Romeu Gentil)


"Daqui não saio / Daqui ninguém me tira. (bis)

Onde é que eu vou morar / O senhor tem paciência de esperar

Ainda mais com quatro filhos / Aonde é que vou parar (bis)

Sei que o senhor tem razão / Pra querer a casa pra morar

Mas aonde eu vou ficar / No mundo ninguém perde por esperar

Mas já dizem por aí / Que a vida vai melhorar"



Já que tudo é carnaval mesmo, para ouvir mais marchinhas, é só clicar na flechinha:



Quase na arena...

Como os cristãos no Coliseu, há dois mil anos atrás, estamos nós, brasileiros, nos dias de hoje.



Câmara aprova CPMF em segundo turno.



Foram 333 votos a favor, 113 contra e 2 abstenções.

"Hoje [terça-feira], vamos até a meia-noite. Amanhã [quarta-feira] é que iremos até as 5h", brincou Chinaglia, da cadeira da presidência.

"Hoje concluímos a votação da PEC [da CPMF]. Votamos até os destaques. Se precisar, ficaremos até as 3h, 4h [de quarta-feira]", estima o vice-líder do governo na Casa



Henrique Fontana (PT-RS).

Estamos quase na Arena... E o PMDB?

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Zeca-Feira



Poderíamos estar falando do Zeca Pagodinho, Zeca Camargo, Zeca Baleiro...

Mas não! A notícia é sobre Zeca do PT!

Como a liberdade de expressão ainda é garantida na Constituição Federal, minha predileção continua sendo falar mal do PT. Tenho motivos de sobra pra isso...

Nunca antes na história desse país se roubou tanto e se roubou mal. Até para isso, há também um "know how". Acho que no aprendizado dessa "habilidade" o PT está ainda no Supletivo. Ou no Mobral mesmo!

Como deixam rastros... Impressionante. Há ainda algo no PT que não feda?

A notícia abaixo confirma as maracutaias do ex-bancário e ex-governador de Mato Grosso do Sul, um tal de Zeca:

"Ao entrar na política, o ex-bancário José Orcírio Miranda dos Santos decidiu adotar um nome que fosse lembrado facilmente pelos eleitores de Mato Grosso do Sul. Passou a se apresentar como Zeca do PT. Em 1998, candidatou-se ao governo do estado. Fez sua campanha acusando o então governador Wilson Barbosa Martins (PMDB) de farrear com o dinheiro público. O discurso colou e Zeca foi eleito. Com a popularidade lá em cima, disputou a reeleição e, no fim das contas, ficou oito anos no cargo, até dezembro de 2006. Ao sair do governo, era apontado como bom administrador. Essa imagem positiva, no entanto, está prestes a ir para o brejo. Na última sexta-feira, o Ministério Público de Mato Grosso do Sul encaminhou à Justiça duas ações em que o petista é denunciado por usar milhões de notas fiscais frias emitidas por gráficas e agências de publicidade para desviar dinheiro público. Agora, fica mais fácil entender por que o Zeca fez questão de ter PT até no nome.

A ação trata de um contrato firmado em 2004 entre o governo e a agência de publicidade Agilitá, uma das quinze contratadas por Zeca enquanto esteve no poder. A Agilitá foi contratada para fazer folhetos e panfletos de propaganda oficial. Para imprimir o material, subcontratou uma gráfica chamada Sergraph. O serviço nunca foi feito, mas foi pago. Só nesse caso, o MP pede à Justiça que o estado seja ressarcido em 436.000 reais. Em 2005 e 2006, essa mesma gráfica emitiu nada menos que 4 milhões de notas fiscais de supostos trabalhos feitos para o governo, o que equivale a 5.500 notas por dia. Os promotores estimam que 80% delas sejam frias. Segundo os promotores, Zeca do PT foi o "autor intelectual" do esquema. Por isso, denunciaram-no por improbidade administrativa, uso de documentos falsos e peculato – desvio de dinheiro cometido por funcionário público.

As investigações sobre Zeca começaram em maio, quando uma ex-funcionária do governo do estado, Ivanete Leite Martins, revelou a fraude e afirmou ao MP que o desfalque teria chegado a 30 milhões de reais. Então coordenadora de comunicação de Zeca, ela operava o esquema e fazia o leva-e-traz com as empresas envolvidas. Ivanete conta que, além das notas frias, havia superfaturamento: quando o governo petista contratava uma agência, exigia entre 5% e 10% do que era faturado. Agora, serão analisadas as contas das outras empresas que prestaram serviço de publicidade a Zeca. E as investigações podem tomar um rumo inesperado. Em uma apreensão recente, promotores encontraram no escritório do ex-secretário de governo de Zeca, Raufi Marques, um caderno com anotações de nomes e valores de pagamentos mensais. Estão na lista o senador Delcidio Amaral e os deputados federais Vander Loubet e Antônio Carlos Biffi – todos petistas –, além de uma série de vereadores, jornalistas locais e até Gilda dos Santos, mulher de Zeca. O MP suspeita que pode ter encontrado nesse caderno o destino do dinheiro desviado do Erário"

Fonte: Veja OnLine



O fato de ser ainda aprendiz na arte de surrupiar o dinheiro público de forma nenhuma isenta o PT do rótulo.

Pelo contrário. Para um partido que costumava a se colocar acima do bem e do mal, a ladronice é muito mais grave.

Mais uma vez repito: pobre Brasil, até quando?

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios