terça-feira, 14 de dezembro de 2004

Autópsia







P: Doutor, antes de fazer a autópsia, o senhor checou o pulso da vítima?

R: Não.


P: O senhor checou a pressão arterial?

R: Não.




P: O senhor checou a respiração?

R: Não.


P: Então, é possível que a vítima estivesse viva quando autópsia começou?

R: Não.


P: Como o senhor pode ter essa certeza?

R: Porque o cérebro do paciente estava num jarro sobre a mesa.


P: Mas ele poderia estar vivo mesmo assim?

R: Sim, é possível que ele estivesse vivo e cursando Direito em algum lugar!!


segunda-feira, 6 de dezembro de 2004

Quem diria...




O Estadão - O diretório regional do PMDB de São Paulo aprovou, nesta segunda-feira, por unanimidade, a tese de desligamento do governo Lula. Em reunião comandada pelo presidente nacional do Partido, Michel Temer, e pelo do diretório regional, Orestes Quércia, a posição foi aprovada por aclamação.

Segundo Quércia, dois terços dos delegados do partido em todo o País deverão optar pelo afastamento do partido do governo Lula, na convenção nacional convocada para o próximo domingo. São Paulo terá direito a 54 de cerca de 700 votos.

Quércia afirmou que 11 diretórios oficializaram na sexta-feira uma convocação paralela da convenção para evitar que uma eventual manobra de integrantes do partido aliados ao governo, suspendam a convenção do dia 12 próximo. Isto poderia ocorrer por meio de uma reunião da executiva do partido, que os governistas articulam para convocar na quarta-feira.

Michel Temer, porém, disse que nenhum pedido foi oficializado ainda. Temer e Quércia insistiram na independência imediata do partido, como parte de um processo de renovação da legenda e apresentação de candidatura própria em 2006 e negaram, porém, a intenção de fazer oposição acirrada ao governo petista.

Temer confirmou a oferta de ampliação do espaço do partido no governo, mas afirmou que a proposta não interessa a maioria da legenda. "Governabilidade se assegura no parlamento nacional, não com carguinhos no poder executivo. Carguinhos no poder executivo é para dar emprego a quem não tem o tamanho do PMDB", afirmou Temer em seu discurso, numa crítica direta a ala governista do partido.

Para confirmar que o partido vai dar governabilidade ao governo, Temer disse que em 2003 antes da legenda participar de um ministério, o PMDB aprovou mais projetos do que depois da entrada no governo. Temer mencionou que o governo ofereceu o Ministério dos Esportes ao PMDB para que o partido permaneça na administração.

terça-feira, 30 de novembro de 2004

Enquanto isso no Túnel da Rebouças




segunda-feira, 29 de novembro de 2004

Bombom de Cupuaçu


Bombom de Cupuaçu


Clique no bombom para obter a receita.

Bom apetite e não se esqueça de jogar o papel no lixo, como manda a boa educação.

terça-feira, 2 de novembro de 2004

Sem Martaxa, não tem taxa???






Os jornais de São Paulo noticiaram que o digno (!) presidente da Câmara Municipal, Arselino Tatto, propõe agora o fim das taxas que o próprio PT criou...

O cidadão afirmou que defenderá "com muita força" a extinção das taxas do lixo e da luz, pois convenceu-se de que o povo não gostou das taxas.

Dane-se a queda da arrecadação... Vire-se o PSDB...

O PT continua com o comportamento infantil do quanto pior melhor, claro, se não forem eles os interessados.


segunda-feira, 1 de novembro de 2004

Para sempre no gelo...




Temos pena da senhora, Dona Prefeita!

Não, não. Nada a ver com as "penosas" da São Francisco...

O outro candidato explorou sua FRAGILIDADE para induzir o povo a votar nele...

O outro candidato foi estúpido, xingando-a em todos os debates, e usou de ironia com V.Exa.

O outro candidato não viu nada do que a senhora fez por São Paulo, e - pasme - nem lhe deu a chance de ver como se faz um CEU-SAÚDE!

O outro candidato reclamou quando a senhora usou o Presidente de cabo eleitoral e a máquina pública para pintar suas peruas desfilando pela cidade... Que injustiça!

O outro candidato literalmente serrou suas pernas, senhora prefeita...

O outro candidato, enquanto a senhora era animada e corajosa na campanha, era frio...

Tão frio que acabou colocando a senhora no freezer...

Perseguição, né, Dona Marta! Preconceito. Colocou-a na cozinha, plagiando Maluf que já disse que seu lugar era pilotando o fogão de sua casa...

Só que o outro candidato colocou a senhora, uma mulher fina, em outro lugar da cozinha. Na geladeira. E nem era Brastemp...


domingo, 17 de outubro de 2004

1001 maneiras de comprometer o voto de um eleitor





Fico imaginando sobre o tal "Quarto Poder"...

Dizem uns que é o Ministério Público, outros que é a imprensa.

Não: o quarto poder é o da propaganda.

Os profissionais de marketing atuam em nossa vontade, dizendo aquilo que devemos comer, com que sabão devemos lavar nossas roupas, porque fumar tal cigarro vai nos deixar mais "fashion", se beberem tal ou qual cerveja os homens conseguirão loiras monumentais..."

A propaganda compromete até o direito inalienável do povo de votar. Técnicas que agem no subconsciente são capazes de levar a vontade de um cidadão de um extremo ao outro.

Tipo, mudar de BOMBRIL para ASSOLAN...

sábado, 16 de outubro de 2004

Pelo amor de Deus...




... será que não dava prá ser um pouco mais agressivo ? Lembra da disputa prá presidente ? hein? lembra?!!

Quem será que está por trás na assessoria dessa campanha ?

Nem ele acreditou ...






... será que ele oPTou mesmo ?

segunda-feira, 11 de outubro de 2004

Marta em pânico !!!






Hilária a entrega do prêmio "O Careca do Ano" pelo Pânico na TV ontem.

Serra e Maluf levaram a brincadeira numa boa...

Somente a madame Marta fez questão de fugir de Sílvio e Vesgo. Ela não tem mesmo o mínimo senso de humor.

Que tal o prêmio "Sandálias da Humildade" prá ela??? Tá aí a sugestão.

quarta-feira, 6 de outubro de 2004

terça-feira, 5 de outubro de 2004

segunda-feira, 4 de outubro de 2004

domingo, 26 de setembro de 2004

Deu no PRAVDA!






Camarada Presidente:

Justo no dia em que o senhor pede desculpas por ter pedido votos para Marta, acintosamente é veiculada propaganda exatamente igual !

Sei não... Isso tem um cheiro do marxismo do século passado! Tudo em nome da cúpula do Partido...

terça-feira, 21 de setembro de 2004

O Suplício de uma saudade...




... há 30 anos atrás, o amor os uniu !



... hoje, foi o Lula !!!


É, senhor Fabre, o que não se faz para se ser o primeiro (aliás, o segundo) marido, hein?!

quinta-feira, 16 de setembro de 2004

Os novos ajudados com bilhetes premiados...




Francisco Garcia Rodrigues

A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal estão investigando a existência de um susposto esquema de lavagem de dinheiro por meio de loterias da Caixa Econômica Federal. Um grupo de 200 pessoas foi sorteado 9.095 vezes entre março de 1996 e fevereiro de 2002, o que dá uma média de 45 bilhetes premiados para cada um.

Mais de 20 inquéritos já foram instaurados pela PF, com base em levantamentos feitos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), do Ministério da Fazenda, conforme reportagem publicada no jornal Folha de S. Paulo.

Dentre os sortudos, estão policiais, deputados federais e empresários.

O deputado Francisco Garcia Rodrigues (PP-AM) e seu filho acertaram nada menos que 43 vezes em 21 concursos diferentes entre 1996 e 2000, o que rendeu mais de R$ 800 mil. Outro parlamentar, Fernando Lucio Giacobo (PL-PR) ganhou 12 vezes em oito concursos diferentes. Conseguiu arrecadar R$ 134 mil entre os dias 5 e 19 de junho de 1997.

Mas essa não é a primeira vez que um parlamentar se vê envolvido em suposto crime de lavagem de dinheiro por meio de loterias. Em 1993, o então deputado federal João Alves atribuiu o crescimento de seu patrimônio a uma série de vitórias em 200 sorteios de loterias. Deus me ajudou muito, declarou à época.


Fernando Giacobo

terça-feira, 14 de setembro de 2004

Ô, coitado...




Quase um milhão de empresas corre o risco de serem excluídas do Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte (Simples) a partir de 1º de outubro.

O desligamento pode ocorrer se os micros e pequenos empresários, optantes pelo sistema federal, não acertarem seus débitos na Receita Federal e na Procuradoria da Fazenda Nacional até o dia 30 próximo.

Juntas, as empresas devem mais de R$ 5 bilhões em impostos.

Existem atualmente 2,5 milhões de empresas que pagam impostos por meio do Simples. Deste total, 700 mil estão com dívidas que somam, em média, R$ 3 mil. O restante, 300 mil, tem débitos que ultrapassam R$ 10 mil!

É!... A vida de pequeno e micro empresário no Brasil não é nada, mas nadinha, simples...

segunda-feira, 13 de setembro de 2004

PRONA na mira...








Como que o casal 56 conseguiu, com tanto grito, aceitar a candidatura do arquifamoso Faria Lima ? Será que eles se esqueceram do escândalo da Máfia dos Fiscais de Pinheiros? É ... brasileiro tem mesmo memória curta...

quinta-feira, 2 de setembro de 2004

Valerá a pena puxar o saco...




A gestão da prefeita de São Paulo (SP), Marta Suplicy (PT), criou 2.142 cargos de confiança (sem necessidade de concurso público para preenchê-los) desde seu início, em 2001. Até o final de 2003, 30.331 servidores foram admitidos - 7% sem concurso público.

Logo nos primeiros seis meses de governo, Marta encaminhou à Câmara Municipal um projeto de lei prevendo uma minirreforma administrativa. Com a iniciativa, criou as secretarias da Comunicação, do Trabalho e das Relações Internacionais, além de 798 vagas.

O projeto mais polêmico foi o que transformou as administrações regionais em 31 subprefeituras. Num primeiro momento, 224 cargos de confiança foram estabelecidos. Na negociação para a aprovação do proposta, o texto incluiu outros 213 coordenadores, em áreas como ações sociais, educação, saúde, planejamento urbano, administração e finanças.

No final de 2003, o Executivo aprovou mais dois projetos que criaram novas vagas sem a necessidade de concurso. Para "acelerar a descentralização administrativa", como justificaram os petistas, a prefeitura aprovou a criação de mais 465 postos nas subprefeituras. Uma semana depois, mais 450 vagas de livre provimento foram aprovadas, para os Centros Educacionais Unificados.

Que inferno, hein???

terça-feira, 31 de agosto de 2004

segunda-feira, 30 de agosto de 2004

Mais trabalho para os tributari$ta$...




A notícia é de um site tributário:

Um despacho publicado no Diário Oficial de 25/08/2004 pelo ministro da Fazenda deixou em alerta advogados tributaristas que atuam no Conselho de Contribuintes Federal - órgão administrativo que julga autuações fiscais aos contribuintes - diante da possibilidade da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) recorrer das decisões administrativas. Pelo despacho, o ministro aprova um parecer da PGFN, que consultou o ministério sobre a possibilidade de recorrer de decisões do Conselho de Contribuintes.

Segundo o parecer, a procuradoria poderá ir ao Judiciário para decisões administrativas que lesarem o patrimônio público ou diante de erro de fato.

quinta-feira, 26 de agosto de 2004

Você não perde por esperar !




"Marta, não fica brava comigo não, mas São Paulo não aguenta mais você quatro anos."

Esperamos mais pérolas como esta no próximo debate de segunda-feira!

terça-feira, 24 de agosto de 2004

Creme de Peroba




A Agência Senado noticia:

"Na qualidade de relator, na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), da renegociação das dívidas da Prefeitura de São Paulo, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) afirmou que a mudança na data do pagamento dos débitos do município com a União, do dia 3 para o dia 30, não foi casuísmo nem obedeceu a motivos eleitorais.

Segundo ele, a mudança foi negociada ainda no tempo do ex-prefeito Celso Pitta, e foi oferecida também a outras prefeituras brasileiras. Trata-se, explicou, de uma simples flexibilização na data de pagamento dentro do mês, podendo ser escolhido qualquer dia entre 1º e 30.

- Diante de tantas especulações da imprensa de que a medida representou um casuísmo para beneficiar a candidatura da prefeita Marta Suplicy, considero um dever de justiça esclarecer os fatos - disse.

Romero Jucá afirmou não ter havido modificação nos termos da renegociação da dívida da prefeitura paulistana, de modo que estão mantidos o número de meses e os montantes negociados. A data foi mudada porque a maior parcela do Fundo de Participação dos Municípios é paga no dia 10 de cada mês, e a previsão de pagamento no dia 3 termina onerando a administração, observou."

É... Realmente titia Marta deve ter receber o auxílio de seu espelho mágico : quando todas as outras prefeituras honraram o pagamento da dívida na data do dia 03, uma força intuitiva dentro dela interpretou que a de São Paulo podia ser paga dia 30.

- Espelho meu, espelho meu, existe outra mulher de coragem como eu ???

terça-feira, 17 de agosto de 2004

Como a idade de Cristo...




O ministro da Casa Civil, José Dirceu, é reconhecidamente um homem forte dentro do governo. Não só porque foi presidente do PT por quase sete anos, ou porque todos os projetos de lei e de decreto passam por ele, bem como as nomeações de cargos importantes em qualquer parte da administração federal ou por exercer o cargo de gerente de todos os ministérios. Mas também porque disseminou núcleos fiéis a ele em todas as repartições.

Para acomodar tantos petistas e aliados no governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva criou o maior número de ministérios da História da República: 33!

Fácil de lembrar...

quinta-feira, 5 de agosto de 2004

Imperdível debate dos prefeitáveis




Hoje às 21:45 h o imperdível debate entre os candidatos a Pre-Feitos.

Prestem muita atenção e lembrem-se de tudo no dia da urna...

terça-feira, 3 de agosto de 2004

Trégua Tributária ao Livro Técnico




As editoras de livros técnicos e científicos não precisam mais pagar PIS e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) que incidiam sobre as receitas de suas vendas. As alíquotas foram reduzidas a zero com a Lei nº 10.925/04, publicada no último dia 26. Esse é mais um dos benefícios escondidos na nova lei, que dispõe sobre PIS e Cofins no setor agropecuário e dá outras providências.

Estas outras providências já beneficiaram diversos segmentos, como empresas que captam recursos no exterior, fornecedores da Zona Franca de Manaus, prestadores e tomadores de serviços, empresas exportadoras e os optantes do Simples em débito com a União. E também as editoras de livros.

De acordo com o consultor Alessandro D'Andrea, da WAP Consultoria Tributária, este é um incentivo importante para o setor e vai resultar em redução de preços para o consumidor final. A dúvida agora é sobre o que é considerado livro técnico e científico. "O Ministério da Educação precisa baixar uma portaria especificando", diz o consultor. Enquanto isso não acontece, as editoras em geral tendem a não recolher os tributos.

A redução da alíquota da Cofins está explícita no artigo 5º da nova lei, que altera artigos da Lei nº 10.833, de 20 de dezembro de 2003. Sobre o PIS, entretanto, é preciso uma manobra para ficar ciente do benefício. O texto da nova legislação aponta alterações em artigos, incisos e parágrafos, apenas citando números. "É quase uma equação aritmética", diz D'Andrea.

Algumas editoras pagavam ainda o valor cheio do PIS e da Cofins, ou seja, 9,25% - soma de 1,25% de PIS e de 7,6% de Cofins. O consultor Denilson Utpadel, da Martinelli Advocacia Empresarial, lembra, entretanto, que muitas delas tinham direito ao crédito dos impostos ao comprar insumos para a produção. "Mas nunca a alíquota chegou a ficar zerada", diz Utpadel.

segunda-feira, 2 de agosto de 2004

Ache o outro candidato... Onde está Willie?




A pobre cidade de São Paulo está emporcalhada com propaganda política - o fundo é sempre vermelho - e tem estrela. Pior que isso: é caríssima propaganda política disfarçada de publicidade oficial institucional, paga com dinheiro público.

São milhares de ônibus e peruas transformados em outdoors ambulantes do PT, ostentando a imagem retocada da prefeita que parece, no mínimo, 20 anos mais jovem.

"Marta - uma mulher de coragem", diz o slogan. Realmente! Muita coragem de gastar dinheiro público para tentar se reeleger a qualquer custo.

E pior: com o dinheiro dos nossos impostos.

quinta-feira, 29 de julho de 2004

Temos cara de (cand)IDIOTAs?






Repare-se na expressão de seriedade pública, ética, transparência, respeito e dignidade desses senhores...

Verdadeiros domadores de Leão !

domingo, 25 de julho de 2004

Feirão de Impostos II




Pouca gente sabe que a cada R$ 1 pago por uma caixa de sabão em pó, por exemplo, R$ 0,42 correspondem a impostos e contribuições que vão para os cofres dos governos federal, estadual e municipal. No caso do frango, do arroz e do feijão, a cada R$ 1 do preço, R$ 0,18 são impostos. Na compra de açúcar, essa mordida é de R$ 0,40. Do macarrão, R$ 0,35 e nos biscoitos, R$ 0,38. Para que os consumidores saibam quanto estão pagando em impostos, tributos e contribuições sempre que compram um produto ou pagam a tarifa de um serviço, um grupo de entidades lideradas pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) lançou ontem um movimento que pretende abranger todo o país.

- Não somos contra os impostos, nem vamos afirmar se a carga tributária no país é alta ou baixa. Queremos apenas conscientizar o consumidor de que ele é um grande contribuinte e que, como tal, tem o direito de exigir melhores condições de ensino, saúde e transportes - disse o presidente da ACSP, Guilherme Afif Domingos, diante do "Feirão de Impostos", um minisupermercado em que os produtos nas gôndolas estampavam o preço e o valor dos tributos.


Um emaranhado de 61 impostos


Nas contas do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), que se juntou ao movimento, toda a estrutura tributária nacional - um emaranhado que reúne 61 impostos, taxas e contribuições - gera uma arrecadação mensal da ordem de R$ 54 bilhões, ou R$ 1,85 bilhão ao dia, que vão para os cofres das diferentes instâncias do poder público.

De acordo com o IBPT, a carga dos tributos nos preços varia de 18% em itens como o arroz, a até 83% dos valores cobrados pelas bebidas. Tarifas de serviços como luz e telefone, ainda, carregam respectivamente 45,81% e 46,65% em impostos.

- A estrutura tributária vem asfixiando o contribuinte e as empresas, mas justamente quando a economia dá sinais de recuperação, vem o governo com novo aumento da carga - disse o presidente do IBPT, Gilberto do Amaral, referindo-se à intenção do governo de elevar as contribuições previdenciárias das empresas para pagar dívidas aos aposentados.

O movimento, que conta com o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado (Facesp), pretende atrair o apoio de entidades de outros estados para que seja aprovada a regulamentação do parágrafo 5 do Artigo 150 da Constituição, que determina que o consumidor seja informado sobre os impostos cobrados sobre os produtos.

Especialistas em tributação aplaudiram a proposta, mas a consideraram de difícil execução. O sistema tributário brasileiro é complexo demais, disse Gilberto Braga, professor do Ibmec Business School e membro da Comissão Consultiva Contábil da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Assim, uma lei que obrigasse o varejo a especificar nos comprovantes de venda o peso dos impostos correria o risco de onerar mais as empresas.

- É uma idéia excelente do ponto de vista da cidadania, porque os países com sistemas mais transparentes têm uma população mais sensível às elevações de impostos - disse.

Para o advogado da área tributária Roberto Haddad, há tantos impostos e contribuições incidindo nas várias etapas da cadeia produtiva que a tarefa de determinar a carga tributária de cada produto seria complexa.

Fonte: O Globo

sexta-feira, 23 de julho de 2004

Não ao IPTU Progressivo!








O 1º Tribunal de Alçada Civil (TAC) do Estado de São Paulo vetou o aumento da cobrança progressiva do Imposto Predial, Territorial e Urbano (IPTU) da Companhia Metalgráphica Paulista.

A Oitava Câmara do Tribunal de Alçada entendeu, por maioria dos votos, que a cobrança progressiva do imposto viola o princípio constitucional da capacidade contributiva.

A partir de 2002, a prefeitura de São Paulo deixou de cobrar a alíquota única de 1\% do imposto e adotou o percentual progressivo que varia de 0,8\% a 1,6\%.

quinta-feira, 22 de julho de 2004

De fazer inveja a Lair Ribeiro...






Impressionante a coragem do Presidente, devidamente assessorado por seus "marketeiros", de instaurar a campanha pró-autoestima-do-brasileiro...

É de se indagar como pode ter autoestima um povo que:

- carece das mínimas condições de segurança : saímos de casa e não sabemos se voltaremos

- apresenta um dos maiores níveis de desemprego da história : tem médico se sujeitando a trabalhar de motorista de táxi, advogado se prestando a ser gari etc.

- é recorde em carga tributária sem a necessária contrapartida do Estado...

- vê crescer a impunidade que descaradamente grassa ladrões de todos os tipos de colarinho...

Como pode ter autoestima um povo sofredor, vilipendiado, roubado, espoliado, enganado, relegado pelas autoridades?

Muita coragem, realmente, de quem tem a cara de pau de mexer nessa ferida, como se a responsabilidade por nosso bem estar dependesse só de nós...

terça-feira, 20 de julho de 2004

Feirão do Imposto



A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) iniciou hoje uma campanha para que a população exija do Congresso a regulamentação da lei federal que determina que o consumidor seja informado sobre os impostos embutidos nos bens e serviços que ele adquire. De acordo com o presidente da ACSP, Guilherme Afif Domingos, há 15 anos que o parágrafo 5º do artigo 150 da Constituição de 1988 aguarda regulamentação. "Esta na hora do povo tomar uma providência, já que, em 15 anos, os parlamentares não fizeram nada", disse.

A ACSP, junto com a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Confederação Nacional dos Jovens Empreendedores (Conaje) e a seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), vão começar em setembro a colher assinaturas para a regulamentação da lei. A previsão é de que, em 60 dias, os organizadores terão colhido entre 500 mil e 1 milhão de assinaturas para apresentá-las ao Congresso.

Nesta segunda-feira, os líderes do comércio montaram o "Feirão do Imposto", evento que serviu para satirizar a "desgraça" do dia-a-dia da população com cartazes bem-humorados, como "Oferta do dia: a nova Cofins, pague mais e leve menos", ou "Liquidação maluca/Última novidade/Cide (contribuição sobre combustíveis) Você paga, mas não leva". De acordo com cálculos do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), o governo federal deve arrecadar este ano R$ 650 bilhões. "Esse montante representa recolher R$ 1,85 bilhão por dia, ou R$ 75 milhões por hora ou R$ 1,2 milhão por minuto", disse o presidente do IBPT, Gilberto Luiz do Amaral.

Afif informou que o "Feirão do Imposto" será levado para pelo menos 30 cidades do Estado de São Paulo e para outras capitais do País. Expostos em gôndolas, uma série de bens de consumo duráveis e semiduráveis mostra a incidência da carga de 61 impostos federais, estaduais e municipais. Entre os alimentos, um pacote de macarrão, com preço de R$ 1,69, recolhe R$ 0,59 em impostos, ou 35,2% do preço. De uma conta de telefone de R$ 71,00, o governo fica com R$ 33,40, ou 46,65%. "Quem paga esse impostos todo não é a empresa ou a indústria, é o consumidor", disse o presidente da ACSP.

fonte: Estadão


segunda-feira, 19 de julho de 2004

Mais um vírus...





Em comunicado liberado na segunda-feira (12), o Banco Central alerta que um novo scam usa seu nome para tentar instalar na máquina da vítima um vírus antigo, o PE_Parite.A.

O scam se passa por uma mensagem do Banco Central oferecendo o download de um "sistema anti-fraude". Ao clicar no link (que estava hospedado em www.meumundo.americaonline.com.br/meridional123/bcb.exe), o internauta baixava para sua máquina, na verdade, o vírus PE_Parite.A, que foi detectado pela primeira vez em janeiro de 2001.

Este vírus, lembra o Bacen, abre o computador para os crackers, que podem acessá-lo remotamente pela porta 30167.

Vale lembrar que o BC não envia e-mails diretamente a correntistas e usuários do sistema financeiro nacional, exceto em resposta às consultas específicas solicitadas por clientes de instituições financeiras", lembra mais uma vez o Banco Central.

Os endereços verdadeiros para o acesso ao Bacen na web são www.bcb.gov.br; www.bancocentral.gov.br; e www.bacen.gov.br.

terça-feira, 13 de julho de 2004

O maior devedor tributário do Brasil...






Antonio Evangelista de Oliveira tem 71 anos comemorados na semana passada e é um dos 13 milhões de aposentados do INSS que recebem benefício de um salário mínimo por mês (R$ 260).

Mora numa casa de alvenaria de dois quartos na periferia de Boa Vista, em Roraima, com a mulher, quatro dos oito filhos e uma neta. Em setembro de 2003, ele recebeu uma correspondência da Receita Federal. ''Quase tive um infarto'', conta. Era uma cobrança de R$ 3,4 bilhões.

O maior devedor do país, inscrito na dívida ativa da União, não é uma empresa nem um milionário.

É uma pessoa física que se declara isenta do Imposto de Renda, possuindo apenas um imóvel. A notícia mais recente do caso é que a dívida de Oliveira está maior: R$ 4 bilhões, conforme valores de junho. Na correspondência, a Receita informou que, se o débito não fosse pago, os bens da família seriam penhorados.

''Vão penhorar o quê? Só se for os meus filhos'', indaga o aposentado.

Oliveira admite que deve aos cofres públicos.

Em 1988 tomou um empréstimo do extinto Banco de Roraima para aplicar no seu lote rural que havia recebido do Instituto Nacional de Colonização Agrária (Incra).

Segundo ele, o empréstimo foi de 10 mil cruzeiros, para comprar mantimentos para a família e assim poder plantar na sua terra em vez de trabalhar como empregado. O valor equivalia a aproximadamente dois salários mínimos na época!

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios